Poema de uma margarida a um beija-flor


O que vês?
O que ouves?
O que sentes?
O que desejas?

Vejo-te na tua sombra oculta.
Ouço, no burburinho, o teu manso respirar
Sinto-te aqui. Ali. Acolá.
Onde os meus braços chegam e as mãos não alcançam.
Desejo a imperfeição do perfeito, contigo.

Impressões


Entrei pela porta dos sonhos e
encontrei-me na sala dos desejos.
Saí pela janela da fantasia.
Achei-te no meio do nada.
Existes?

Revelo-te em papel fotográfico
onde as cores da imaginação
se misturam com as da realidade

Espalho as minhas impressões digitais
onde ficarão para sempre.
Aí. Nesse mesmo lugar.
Onde ,um dia, te vi.

(Recuperado e editado)

Quisera eu ser...


... suspiro no teu respirar;
... presa no teu horizonte;
... beijo nos teus lábios;
... sede na tua boca;
... abraço no teu corpo;
... borboletas na tua barriga;
... cócegas nos teus pés;
...perfume na tua pele;


Tudo isto. Algo mais. Muito mais.
...nada do que só palavras possam transmitir.

Dos sonhos


Do que se vive acordado
restava a sombra
grande, crescente
vítima de um sol que se punha no horizonte.
Com a noite chegavam os sonhos:
quentes
ardentes
reais.
Tomavam forma de suspiro,
de suor,
de fragâncias que não se sentiam.
Adormeciam no cansaço,
para resurgir ao amanhecer.

Fortuna


Diálogos surdos que povoam a imaginação de ruídos suportáveis.
Gestos medidos. Palavras (pre) meditadas,
onde nada acontece por acaso,
onde a fortuna não é sorteada numa qualquer roda de feira ambulante.
Ou não:
os diálogos continuam a ser surdos,
mas os gestos e as palavras surgem a partir dos seus antecessores
e, afinal, a roda gigante da fortuna desliza a uma velocidade vertiginosa.

Príncipes, princesas e castelos de sonhos onde os dragões são facilmente derrotados


No país dos sonhos, onde o impossível se torna realidade e onde o improvável toma forma, e onde o tempo não tem existência, vive um pouco de cada um de nós. Os medos e anseios são fortificados dentro de grossas muralhas que os mantêm controlados e a audácia e a coragem surgem quando e como quisermos.