Poema de uma margarida a um beija-flor


O que vês?
O que ouves?
O que sentes?
O que desejas?

Vejo-te na tua sombra oculta.
Ouço, no burburinho, o teu manso respirar
Sinto-te aqui. Ali. Acolá.
Onde os meus braços chegam e as mãos não alcançam.
Desejo a imperfeição do perfeito, contigo.

Sem comentários: