Palavras


Deixarei de rabiscar palavras
no dia em que a tinta da mente se me secar.
Quiçá começarei a pintar
o que os meus dedos teimam em não pincelar.
As palavras saem-me com alguma naturalidade,
as pinceladas não: o conseguido é apenas uma imagem distorcida do imaginado.
A não materialização das imagens é frustrante
e quando lá consigo chegar perto
não creio terem saído de minhas mãos tais traços.
De longe, prefiro as palavras.

Escritos


Porque Amor não se escreve com letras,
nem tampouco com palavras.
Escreve-se com gestos,
sorrisos,
sussurros,
com o dedilhar...

Escreve-se com beijos, também.