Da saudade

Estranhei-te.
Vi-te quando não estavas.
Senti-te na tua ausência.

Não era mais se não
aquela saudade que nunca morre,
e que nunca se deixa matar
após cada reencontro.

2 comentários:

diana disse...

Adorei este post. Estas palavras dizem realmente tudo.

Pezinhos na Areia disse...

Saudade que fica para sempre acompanhada pela esperança.. essa eterna!
Belas palavras