Vim matar saudades...

... das palavras que aqui deixei e que, propositadamente, escondi do mundo: fazem-me sorrir e em muitas revejo o que me fizeram escrevê-las.
... das pessoas por trás dos links na coluna ao lado - não as visito tão regularmente, nem deixo comentários, mas vou vê-las em silêncio.

Vim matar saudades dos sonhos que não morreram,
apenas adormeceram nuns braços que estão dormentes.
Vim matar saudades de uma voz,
que calo, que escondo, que omito.
Vim matar saudades dum futuro que ainda não alcancei,
mas por muito que demore a chegar,
eu sei que espreita à minha espera.